Peça escrita para o 1º Concurso de Interpretação Arpejo Editora

Dur: Ca. 7'15''

Publicado em Janeiro de 2022 pela Arpejo Editora 

 

O repertório para trompa, especialmente no caso daquele escrito para os mais novos, difere do repertório escrito para alunos avançados e profissionais. Mais do que nunca é importante que este resulte de forma idiomática tirando partido das caraterísticas do instrumento, de forma a conseguir o máximo efeito com o mínimo esforço. Esta é uma área que sempre me interessou e que aliás foi objeto de estudo da minha investigação de doutoramento. No desafio, que me foi lançado pela Arpejo Editora, foi-me solicitado um conjunto de 5 peças para trompa e piano com dificuldade crescente e que de alguma forma estivesse relacionado com o cancioneiro popular português. Do ponto de vista composicional foi algo muito aliciante dado que uma boa parte do cancioneiro se encontra documentada, ao mesmo tempo foi um desafio visto que grande parte deste cancioneiro assenta em elementos rítmicos e melódicos repetitivos que ganham outra roupagem com a letra. Muito possivelmente, as canções escolhidas não são conhecidas pelos mais novos, que ultimamente têm tido tendência a adotar o cancioneiro de outros países. Pretende-se desta forma dar um pequeno contributo para inverter essa tendência.

Maragato Son (50'') é uma canção de Trás-os-Montes e Alto Douro (Paradela/Miranda do Douro). Se for tocada em trompa fá, o trompista apenas necessitará de mover o primeiro dedo. (PLAY ALONG)

Era ainda pequenina" (1') é uma canção da zona das Beiras (Monsanto). Nesta versão foram adicionadas suspensões e ornamentos opcionais que podem ser omitidos ou mesmo improvisados. Na segunda vez deveráser tocada sem ornamentos nem suspensões. (PLAY ALONG)

De Trás-os-Montes e Alto Douro: “Olha o velho, olha o velho” (1'35'') é uma pequena canção satírica que repete com diferentes letras. Nesta versão instrumental foram adicionadas mais secções com material musical que, quando tocado do lado de trompa si bemol pode ser tocado apenas movendo o segundo dedo. (PLAY ALONG)

Ó malhão, triste malhão(1'25'') é uma canção da zona das Beiras (Mira). O tremolo de dedilhações logo no início da parte de trompa tira partido do facto de as notas indicadas poderem ser tocadas com a mesma dedilhação quer do lado de trompa fá, quer do lado de trompa si bemol. Assim, para efetuar este tremolo é apenas necessário mover o polegar. (PLAY ALONG)

Por último, Vai-te embora, ó papão (2'25'') é uma canção de embalar da região das Beiras. O tema é apresentado inicialmente pela trompa, enquanto o piano executa sons estranhos... será que é o papão? Qual monstro que não deixa a criança dormir, o tema vai ganhando intensidade, até finalmente acalmar, cumprindo o desígnio da canção de embalar. Este tema tem a particularidade de ter mudanças de compasso que inicialmente podem parecer um bicho papão, contudo com a prática tudo será mais fácil. (PLAY ALONG)

Playalong disponível aqui